domingo, 28 de junho de 2009

@overdosedecafe O Twitter vai dominar o mundo. Então #chupa

Este post vai falar exclusivamente do Twitter. Mas não vou explicar seu funcionamento durante o texto, senão vai ficar chato. Quem não conhece a ferramenta leia antes este rápido tutorial que explica seu funcionamento.


Sou usuário do Twitter há uns 3 meses, apesar de saber de sua existência há mais tempo. Não entrei antes porque não entendia bem seu funcionamento e muito menos sua utilidade. Mas eis que um amigo (@minerio), muito do folgado, foi lá e criou uma conta pra mim e apenas enviou usuário e senha.
Relutei nos primeiro instantes, mas acabei aceitando a idéia e comecei a tuitar.

727 tuitadas mais tarde eu resolvi dedicar um post ao meu novo vício. E o assunto principal será a velocidade com que as coisas acontecem neste mundo maluco do Twitter.

Na quinta-feira passada, com a morte de Michael Jackson (que ainda ganhará um post), eu presenciei o poder do Twitter em divulgar uma informação, mesmo que aos pedaços. Digo isto porque como disse um jornalista que não me lembro o nome, MJ morreu antes no Twitter.
As duas horas que se seguiram depois da primeira tuitada sobre o assunto até a confirmação oficial de sua morte foi completamente insana. TODOS os usuários da rede só falavam de MJ, não existia exceção. Eram dúvidas, afirmações, ataques contra MJ, tristeza, homenagens, links e mais links e tudo mais que possa imaginar sobre um único assunto: A provável morte de Michael Jackson. Foi impressionante. Quem acompanhou estas 2 horas sabe o que estou dizendo.

Hoje, com o jogo Brasil X EUA pela Copa das Confederações, a loucura se repetiu deixando clara mais uma vez a capacidade do Twitter de movimentar as pessoas em torno de um único assunto. Bem resumidamente a história foi a seguinte: Com o final do primeiro tempo e o placar de 2x0 para os EUA, um dos usuários mais conhecidos da tuitosfera mundial, o Ator e marido de Demi Moore, Ashton Kutcher (@aplusk) começou a tirar sarro dos brasileiros em suas tuitadas. Com a vitória do Brasil ele passou a ser bombardeado pelos brazucas que usavam uma gíria futebolesca para insultar os adversários quando tomam um gol: Chuuuuupa!!
Na sequência, tuiteiros brasileiros e famosos (com muitos seguidores) ou não começaram a lançar uma campanha para colocar a Tag #chupa no Trending Topics, uma espécie de ranking de tudo que é tuitado mundo afora. Bastaram uns 10 minutos alucinantes com todo mundo tuitando o #chupa para que a tag chegasse ao primeiro lugar do Trending Topics. Olha a prova:


O que torna este fato inusitado é a estatística desfavorável aos usuários brasileiros do Twitter, que apesar de muitos, representam pouco no volume mundial de usuários. Para se ter uma idéia, no dia seguinte da morte de MJ o Trending topics já não tinha todas os seus lugares ocupados com o assunto, mesmo que aparentemente todo mundo ainda falava muito sobre MJ.

O mais impressionante nestes dois episódios foi a velocidade com que as coisas aconteceram. Os tradicionais portais de notícias parecem dinossauros perto do Twitter, quando o assunto é velocidade de divulgação e criação de tendências. Eles inclusive começam a citar as tuitadas em suas matérias, mas sempre com atraso em relação ao acontecimento.

Mas não é fácil ser usuário desta rede, você precisa ter a capacidade de filtrar a informação que recebe, pois nem sempre é verídico ou relevante. Aí você vai dizer: Então passe a seguir pessoas relevantes! Eu sei, eu tenho feito isso, mas aí entra em cena mais uma característica do Twitter: Como as tuitadas são pequenas (140 caracteres) as pessoas não se preocupam tanto com o que vão escrever, passando de relevante para irrelevante de um minuto para o outro e no minuto seguinte, voltam a ser relevantes. Então não dá para trocar toda a lista de Following em busca de informação relevante, o mais importante mesmo é filtrar a informação. Outra característica interessante é a mudança de perfil da rede nos finais de semana, quando os usuários relaxam e mudam completamente seu comportamento nas tuitadas, é diversão garantida.

E para terminar uma última observação. Eu costumo dizer que o Twitter de cada um é uma operadora de Tv a cabo particular, onde cada pessoa que seguimos é um canal diferente. Sendo assim, os acontecimentos que relatei neste post passaram na "Minha TV", não significa que os demais usuários assistiram aos mesmos "filmes".

E atenção, Twitter vicia de verdade, se cuida! Ass: @overdosedecafe

4 comentários:

Atômica disse...

Concordo com o que disse, Twitter vicia, mas creio que se consumido moderadamente, se for possível moderar o vício não será prejudicial à saúde.
Abs

@sra_chardonnay

Luciano Laranjeira disse...

Bacana.

Completando... o lance da limitação em 140 caracteres também gera o inconveniente da má interpretação. Presenciei situações onde uma simples puxada de assunto foi vorazmente interpretada como afronta. Virou bate boca. Se fosse pessoalmente, viraria pancadaria. O inverso também é verdade. Esculachos medíocres tomados como críticas geniais. É uma bagunça. Uma grande gritaria. Gente que fala sem pensar e acaba se dando mal., e gente que pensa demais e quando escrever, na se faz entender e se ferra também. A limitação exige jogo de cintura com poucas palavras.

No entanto, apesar disso, tem um lado legal que é descobrir de forma rápida, gente que tem coisas interessantes pra dizer em seus blogs ou páginas pessoais.

É uma experiência que exige paciência e bom humor... e acima de tudo, controle. Como você disse, vicia.

Boa sorte com seu blog. (e no Twitter também)

Cristina disse...

Sem dúvida! "Fantasdigo"!

Carolina disse...

Twitter é a desculpa perfeita pra sair por ai dando a cara a tapa. Oq vc tuita, não mais te pertence, assim como as palav ras que diz, quando saem da sua boca, não sao mais suas.

Twitter rules!