terça-feira, 24 de junho de 2008

O que será da Microsoft daqui a 5 anos?


Há uns 10 meses eu falei para um amigo: se a Microsoft não tomar uma atitude radical no curto prazo, vai virar uma empresa comum no meio de outras mil em no máximo 5 anos. Ele morreu de rir.

Eu sei que fazer qualquer tipo de previsão para o mercado de tecnologia é altamente arriscado, mas neste caso, vou assumir este risco.
O único mérito da Microsoft em todos estes anos foi o marketing em torno de seus produtos, que quase sempre foram copiados ou comprados de outras empresas, e o fato de ter conseguido colocar seu sistema nos PCs quando estes estavam nascendo. Fora isso, ela não consegue ter um décimo da capacidade de criar soluções úteis e lucrativas como o Google, por exemplo.

Acompanhe meu raciocínio: a Microsoft se sustenta basicamente em 2 produtos, o Windows e o Office. O primeiro sofreu um grande desgaste com o lançamento do Vista, um sistema pesado, óbvio e claro, cheio de erros.
Em um artigo publicado recentemente, a BusinessWeek ilustra bem a realidade do sistema da Microsoft. Seu melhor mercado, o corporativo, não está mais aceitando o upgrade apenas pelo upgrade, como era feito até então. Ou seja, a Microsoft lançava uma nova versão e as empresas simplesmente compravam, sem avaliar a real necessidade e os verdadeiros ganhos. Desta vez foi ao contrário, grandes empresas como a GM estão desinstalando o Vista de seus computadores, atitude que distorce um número importante: as vendas do Vista são impressionantes, mas quantos estão realmente usando o produto? E qual vai ser a reação deste mesmo consumidor diante do lançamento da próxima versão? E se daqui pouco tempo já existir um outro sistema que ofereça a mesma confiabilidade (altamente discutível) do Windows?
Já o Office ainda deve se sustentar por mais tempo, apesar de ataques como Google Docs e Open Office, sistemas que fazem quase tudo que o usuário comum de escritório precisa, de graça.

Mas a maior dificuldade da Microsoft nos últimos 15 anos foi, sem dúvida, não conseguir criar serviços online lucrativos. E este ponto pode ser crucial para seu futuro. Não foi à toa que ela tentou desesperadamente comprar o Yahoo, que no meu ponto de vista era sua última saída.

Eu poderia me estender por várias páginas para argumentar com mais detalhes minhas profecias e falar mais sobre este mercado, mas o post ficaria chato e longo. Quem quiser trocar mais idéias sobre o assunto, fique a vontade para me escrever.

6 comentários:

Christofer Castro disse...

hehe, o problema agora é, minha vida está toda online, nos servidores da google. Não dou 10 anos para começarmos a falar atrocidades dos Googleiros! rs

Estevan Paiva disse...

Concordo com o amigo que riu da previsão.... rsrsrs

Suas colocações são perfeitas e pontuais nos problemas críticos da cia. do Bill.....

Entretanto, prever uma queda da Microsoft que a colocaria numa posição "comum" em 5 anos sinceramente acho uma visão pessimista e talvez um pouco geek também....

Temos que levar em conta o tamanho da bichinha.... tem muito... mas MUITO dinheiro envolvido nisso.....

Para haver tal crash.... devemos pensar em 1 geração..... a atual geração está acostumada e até presa no sistema e nos pacotes Microsoft. Tente trocar o Word de 70% dos usuários..... os caras piram.... não saberão o que fazer com o mouse..... e não tenha dúvida que a Microsoft sabe que o risco dela está na próxima geração.... que nasceu no opensource..... por isso o "desespero" pelo Yahoo..... a Microsoft possui uma cultura arcaica.... e tentou mudar isso encampando o Yahoo..... mas ela tem outras alternativas... mais caras e mais difícil.. mas tem....

Assim como você, farei um papel de Mãe Dinah.... não creio que a gigante perca mais que 7% de share nos próximos 5 anos.... e até lá, certamente, veremos a bichinha com outra cara..... a saída oficial do Bill é uma sinalização disso....

Bom.... em 5 anos veremos quem pode mudar de ramo e competir com a Mãe Dinah ;)

Christofer Castro disse...

hehehe, concordo com o camarada! A danada é maior que ela. Daqui a pouco inventam a pipoca de microondas Microsoft e ficam triplamente mais ricos, rs

Jack Bauer disse...

Pois é, que ela tem muito dinheiro, não resta dúvida. Porém, se as 2 principais fontes deste dinheiro (Windows e Office) entrarem em uma onda de desaceleração, a situação muda rapidamente.
Lembra o tamanho que estava a Cisco quando o mercado cismou que ela não servia pra mais nada? Quase quebrou.
Não estou dizendo que a Microsoft vai quebrar, longe disso. Minha aposta é que ela vai perder sua relevância no mercado de tecnologia. Mas grande, ela continuará sendo daqui a 5 anos, muito provavelmente.

alexpawlow disse...

A minha previsão é: Bill Gates comprará o projeto Camelot, adotará o Boriska como filho, vai criar uma rede de bóias equipadas com gps e sistema de navegação desenvolvido em parceria com a Yahoo, rodando Windows HastalaVista, conseguindo assim reunir todos os seus seguidores numa grande nave que enfim resgatará os marcianos que vivem nos subterrâneos do planeta vermelho. Ah...assim que ele embarcar o mundo será dominado pela Apple e seu MacOS, e anunciaremos as boas novas para a nova aliança usando nossos novíssimos iPhones 3G.

estevan paiva disse...

Pena que não teremos fotos dessa aliança.... porque a camera do Iphone é uma bosta... rsrsrs
;)